INDULGÊNCIAS PLENÁRIAS no Mês dos FINADOS

INDULGÊNCIAS PLENÁRIAS no Mês dos FINADOS

INDULGÊNCIAS PLENÁRIAS NO MÊS DE NOVEMBRO

A Penitenciaria Apostólica, no último dia 23 de outubro, por mandato especial do Papa Francisco, estabeleceu que, neste ano, com o intuito de se evitar aglomerações, a Indulgência Plenária para aqueles que visitam um cemitério e rezam pelos defuntos, de norma estabelecida apenas de 1º a 8 de novembro, pode ser transferida para outros dias do mesmo mês até seu término, dias estes escolhidos livremente pelo fiel.

Do mesmo modo, a Indulgência Plenária de 2 de novembro, estabelecida por ocasião da Comemoração de Todos os Fiéis Defuntos para aqueles que visitam piedosamente uma igreja ou um oratório e ali rezam o “Pai-Nosso” e o “Credo”, pode ser transferida não apenas para o domingo precedente (neste ano, Solenidade de Todos os Santos) ou seguinte, mas também para outro dia do mês de novembro, à livre escolha de cada fiel.

Os idosos, os doentes e os que por motivos graves não podem sair de casa, por causa das restrições impostas pela autoridade competente para o tempo de pandemia, a fim de evitar que um grande número de fiéis se aglomere nos lugares sagrados, poderão obter a Indulgência Plenária desde que, unindo-se espiritualmente a todos os outros fiéis, completamente distantes do pecado e com a intenção de cumprir o mais rápido possível as três condições habituais (confissão sacramental, Comunhão eucarística e oração segundo as intenções do Santo Padre), rezem orações piedosas pelos falecidos diante de uma imagem de Jesus ou da Bem-aventurada Virgem Maria, como, por exemplo, Laudes e Vésperas do Ofício dos Defuntos, o Rosário Mariano, o Terço da Divina Misericórdia, outras orações pelos mortos queridos dos fiéis, façam a leitura meditada de uma das passagens evangélicas propostas pela liturgia dos defuntos ou uma obra de misericórdia oferecendo a Deus as dores e dificuldades da própria vida.

Para obter mais facilmente a graça divina por meio da caridade pastoral, a Penitenciaria pede fervorosamente a todos os sacerdotes que se ofereçam generosamente para a celebração do Sacramento da Penitência e administrem a Sagrada Comunhão aos enfermos. Como as almas do Purgatório são ajudadas pelos sufrágios dos fiéis e especialmente pelo sacrifício do Altar, todos os sacerdotes são fortemente convidados a celebrar a Missa três vezes no dia da Comemoração de Todos os Fiéis Defuntos, de acordo com a Constituição Apostólica “Incruentum Altaris”, emitida pelo Papa Bento XV, em 10 de agosto de 1915.

Lembrando que esta Indulgência Plenária relativa ao mês de novembro não é aplicável a si próprio, mas aos defuntos, por quem temos, como cristãos, a obrigação de rezar sempre. Este é um grande ato de caridade para com nossos irmãos do Purgatório, já que eles não podem fazer mais nada por si mesmos.

Requiem aeternam, dona eis, Domine,

et lux perpetua luceat eis.

Requiescant in pace.

Amen..

 

(Por Pe. Wellington de Castro)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *