Em setembro a Igreja no Japão se mobiliza pelo cuidado da água

Em setembro a Igreja no Japão se mobiliza pelo cuidado da água

Em uma recente publicação na sua página Facebook, a Arquidiocese de Tóquio fez uma postagem chamando a atenção sobre o “Tempo da Criação” que está sendo celebrado pela Igreja. Refere-se particularmente à água, e neste mês de setembro a Igreja pede aos fiéis que saibam mais sobre a importância do “ouro azul”. Na publicação recordam que a água frequentemente é “maltratada, poluída e desperdiçada”, comprometendo “a sobrevivência e a saúde da humanidade”.

 

Gestos concretos
Portanto durante o mês de setembro todos são convidados a “assumir responsabilidades”, especialmente através de gestos concretos. Foram sugeridos “regar as plantas e árvores secas que vemos ao nosso redor e cultivar novas”; refletir sobre o valor purificador da água benta usada na Igreja; fazer pesquisas para entender o “valor social e cultural” dos recursos hídricos, que representam uma espécie de “memória coletiva da humanidade”. Também foram dadas sugestões para economizar, por exemplo, “quando se tem sede, encher o copo pela metade”. Somente se necessário, então acrescentar mais água”.

“Aqua fons vitae”, documento do Vaticano dedicado à água. Inspirada no documento “Aqua Fons Vitae”, publicado pelo Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral em 22 de março, Dia Mundial da Água, a arquidiocese japonesa está conscientizando sobre outros aspectos do ouro azul. É uma “ponte”, destacou, um “elemento que cria cooperação e diálogo”, que ajuda a formar “maior coesão social”, participa da “promoção da paz” e expande a “solidariedade”. Além disso, os recursos hídricos não devem ser considerados como uma mera mercadoria que pode ser “possuída, saqueada, administrada, consumida e comercializada”, pois é “um elemento essencial de todas as formas de vida”. Também neste caso são sugeridas iniciativas aos fiéis: discutir entre eles a importância de economizar água e a melhor maneira de conservá-la, conhecer “as plantas purificadoras e sua distribuição na região”, aprender sobre o problema da privatização da água, verificar se não há vazamentos de água em suas casas.

Deter a “privatização do mar”
A arquidiocese de Tóquio adverte que “cerca de dois bilhões de pessoas no mundo ainda não têm água potável suficiente porque as nascentes estão muito distantes ou muito poluídas” e pede o fim da “privatização do mar, que é feita em benefício exclusivo dos grandes grupos econômicos” e que equivale à “depredação do mar” porque priva os pequenos pescadores de seus direitos. Os fiéis do Japão poderão rezar o terço por esta intenção, especialmente no dia 8 de setembro, o dia da Natividade da Virgem Maria.

 

Fonte: Vatican News

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *