Caritas Japão cria fundo especial Covid-19. “Fase 2” adiada para 31 de maio

Caritas Japão cria fundo especial Covid-19. "Fase 2" adiada para 31 de maio

Setores mais vulneráveis da sociedade serão os destinatários dos recursos que a Caritas Japão pretender arrecadar com a campanha recém lançada. E na segunda-feira, 4, o governo japonês anunciou que o estado de emergência no país foi prorrogado até 31 de maio.

Vatican News

Uma coleta de fundos especial para a emergência coronavírus foi lançada pela Caritas Japão, que destinará o valor arrecadado para sete âmbitos mais necessitados de atenção.

Em particular – informa um comunicado publicado no site da Conferência Episcopal Japonesa – os recursos serão usados ​​para fornecer um alojamento aos sem-teto e refugiados e para todos aqueles que perderam suas casas devido à crise; para fornecer comida e roupas às pessoas que ficaram sem renda pela perda do emprego ou fechamento de seus negócios e para abrir estruturas de acolhida para as vítimas de violência doméstica.

As doações serão também destinadas na ajuda a cidadãos estrangeiros – trabalhadores, estagiários, técnicos, mas também detidos e requerentes de asilo – que se encontram presos no país devido à emergência e oferecer apoio a pessoas particularmente vulneráveis, como aquelas com deficiência e idosos.

Por fim, os recursos também servirão para criar centros de informações para aqueles que, por razões de idioma, idade ou algum tipo de deficiência, têm dificuldades em acessar informações e para apoiar estruturas de saúde que não conseguem receber dispositivos médicos suficientes.

Início da “fase 2” adiado para 31 de maio

E o início da “fase 2” foi adiado.  O primeiro-ministro Shinzo Abe anunciou na segunda-feira, 4, que o estado de emergência declarado há um mês foi prorrogado até 31 de maio.

Esta decisão era aguardada pela pequena comunidade católica na Terra do Sol Nascente, onde foram suspensas as Missas com a presença dos fiéis em todas as dioceses, em concomitância com a extensão das restrições aos deslocamentos e aglomerações. Mas com o anúncio do governo japonês, os bispos deverão qguardar para retomar as liturgias públicas e outras atividades da Igreja. Nesta situação, o jornal católico “Catholic Shimbun” suspendeu as publicações desde o último domingo, esperando retomá-las em 31 de maio.

Os óbitos no Japão devido à Covid-19 são 536, enquanto o número de pessoas infectadas é de 15.079. Segundo o primeiro-ministro, o número de infecções diárias no Japão caiu de 700 para 200, mas o objetivo é fazer com que chegue a menos de 100.

O estado de emegrência no Japão não segue os moldes europeus. Trata-se, ao invés disso, de recomendações aos indivíduos, empresas e às atividades comerciais a se adequarem às disposições das autoridades no respeito da coesão social. A partir dos próximos dias, a reabertura dos parques, das livrarias e dos museus será permitida com a adoção das medidas  adequadas no que diz respeito às regras de distanciamento social.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *